Seja paciente consigo mesmo.

hotel assombrado townsend

Esperamos que as flores cresçam, regando-as diligentemente, transformando suas pétalas no sol. Ficamos ao lado de nossos melhores amigos, segurando lenços de papel e inclinando-nos para mais perto, para que descansem suas cabeças cansadas em nossos ombros, nunca lhes dizendo para enxugar as lágrimas, para apressar a cura. Esperamos ônibus, trens, semáforos. Damos muitas chances às pessoas, ao mundo, mas nunca a nós mesmos. Somos tão sensíveis quando se trata de pequenos, animais e vidas que não são nossas.

Por que não podemos estender a mesma paciência aos nossos próprios corações pulsantes?

Esperamos que nossa quebra se resolva em questão de minutos, dias. Quando estamos despedaçados, queremos nos apressar, colar nossas peças novamente, queremos superá-lo tão rapidamente. Mas esquecemos que somos apenas humanos, que nossas almas são bonitas, mas que só podem aguentar muito. Esquecemos que, sem lembrar o sabor dos lábios de alguém ou o toque deles na sua pele leva tempo.

Esquecemos que todos os dias que levantamos a cabeça do travesseiro conta como algo. Esquecemos como somos verdadeiramente fortes.

Quando caímos, queremos nos levantar em segundos. Não queremos lamentar, esperar, passar pelo processo de reconstruir a nós mesmos. Nós apenas queremos ficar bem. Imediatamente. Só queremos fingir que nada aconteceu, só queremos seguir em frente.

Mas quando não nos damos tempo e espaço para crescer, não o fazemos. Estaremos para sempre presos em um ciclo interminável de autopiedade, derrota, desejo de uma pessoa que deixou esta terra ou deixou nossas vidas. Nós nunca seremos felizes.

Então, por que não estendemos a mesma gentileza que damos ao mundo para nós mesmos?

Temos que ser pacientes. Como estamos com flores, com crianças, devemos tomar medidas cuidadosas. Devemos construir uma fortaleza ao nosso redor para que possamos fortalecer, reconstruir. Devemos falar palavras positivas para nós mesmos, devemos incentivar ao invés de repreender. Precisamos encontrar o bom para focar. Devemos não apenas perdoar aqueles que nos machucaram, mas, mais importante, perdoar a nós mesmos.

Devemos entender que a vida não é fácil, nunca será. Mas isso não significa que não somos capazes de subir, de fazer algo bonito com as peças que nos foram dadas.

Devemos entender que somos apenas humanos - somos obrigados a cometer erros, a torcer os joelhos, a decepcionar nossos entes queridos, a magoar e a magoar - mas também estamos destinados a coisas incríveis, se nos dermos uma chance. Se aprendermos a amar quem somos, tanto quanto amamos as coisas e as pessoas ao nosso redor.

Temos que ser gentis.

Vamos crescer no nosso próprio ritmo. Deixe nossos corações baterem em seus próprios ritmos lentos enquanto desaprendemos o amor que pensávamos que teríamos para sempre. Que nossas almas brilhem com seu brilho inerente, em vez de absorver a monotonia do mundo. Vamos cair, ficar confusos. Vamos começar de novo, mas no processo não se apresse.

Seja paciente.
Estamos indo bem.