Donald Trump não pode ser o presidente* dos Estados Unidos por um único segundo a mais

2022-09-19 17:22:01 by Lora Grem  Washington, DC, 06 de janeiro, o presidente Donald Trump fala no comício 'pare o roubo' em 06 de janeiro de 2021 em Washington, DC, apoiadores de Trump reunidos no país's capital today to protest the ratification of president elect joe biden's electoral college victory over president trump in the 2020 election photo by tasos katopodisgetty images

Ele tem que ir. Agora. Este momento. Donald J. Trump não pode ser presidente* dos Estados Unidos nem por um segundo a mais. Não é simplesmente que ele é inadequado para o cargo que ocupa. Quero dizer, isso é verdade para Josh Hawley e Ted Cruz também. Trump é algo pior. Ele provou ser uma ameaça à segurança nacional, a mais séria em Washington desde que os Royal Marines queimaram o local. Ele é um traidor de seu juramento e de seu país. Ele precisa ser forçado a sair, seja por meio das disposições da 25ª Emenda ou por meio de um processo acelerado de impeachment. Quaisquer funcionários eleitos que não concordem com este fato simples e óbvio desonram os cargos que ocupam a cada segundo que se recusam a fazê-lo no futuro.

Ele é o responsável por tudo isso. Ele é responsável pelo ataque ao Capitólio e pela resposta incrivelmente negligente da Polícia do Capitólio. Ele criou uma atmosfera na qual os piores impulsos dos piores policiais de todo o país são inflamados e encorajados até que a Polícia do Capitólio se recusou a defender... o Capitólio. Ele tem que ir. Agora. Este momento.

Ele é o responsável por tudo isso. Ele também é responsável por tudo o que vier disso no futuro. Ele é responsável por quem quer que seja o próximo autoritário que aparecer, e essa pessoa provavelmente será um autoritário mais inteligente e competente do que esse charlatão perigoso. Ele tem que ir. Agora. Este momento.

 segurança dos estados unidos 6 de janeiro barrica a porta da câmara enquanto manifestantes tentam invadir a sessão conjunta do congresso que certifica o voto do colégio eleitoral na quarta-feira, 6 de janeiro de 2021 foto de tom williamscq roll call, inc via getty images Tire-o para fora. Agora.

Ele é o responsável por tudo isso. Este país tem um sério problema de fascismo agora. Tem um problema de fascismo que é alimentado e encorajado pelo que é, na melhor das hipóteses, um ecossistema de mídia adjacente ao fascista e, na pior das hipóteses, uma rede de comunicação que envergonharia Goebbels. Há um movimento de direita genuinamente subversivo neste país que teve seu foco neste presidente*, e que estará descansado e pronto quando o próximo vier. Não há político republicano com coragem ou força para curar a doença do príon que agora devorou ​​todas as funções superiores do partido e o reduziu a uma besta bruta que não é mais nada além de um acúmulo de base e apetite abandonado. A história virou por um beco escuro e ele o mandou para lá. Ele tem que ir. Agora. Este momento.

Todo mundo sabe disso. Às sete horas da noite de quarta-feira, rumores ricochetearam por toda Washington de que pessoas poderosas estavam se reunindo em sussurros, fazendo planos para tirar o governo das mãos do homem louco. Deixá-lo no lugar mesmo por uma hora seria o abandono final do dever, e já tivemos muitos deles. Force-o a sair. Faça isso agora. A cumplicidade é sua própria recompensa sombria.