Sempre me lembro que você não pode dar algo que não possui. O mesmo vale para o amor. Eu me apaixonei antes e parecia pura felicidade ser amada. Com esse amor, me senti completa. Então, quando perdi esse amor, fui despedaçado em um milhão de pedaços. Levei dois anos para me recompor, mais do que o dobro do tempo que passei nesse relacionamento.

Então eu disse a mim mesma que, antes de amar de novo, eu deveria estar cheia de amor. O tipo de amor que ninguém pode tirar, o tipo de amor que eu não precisaria subtrair de mim para dar a outro, o tipo de amor que eu não precisaria dividir entre as pessoas. Então, durante anos, me enchi e me formei com o tipo de amor que só pode ser multiplicado.

Eu me amei o suficiente para poder irradiar e compartilhar esse amor com os outros. Eu me amei o suficiente para saber como posso fazer os outros se sentirem amados. Eu me amei o suficiente para poder mostrar às pessoas que, de fato, a dor é essencial para o crescimento. Eu também me amei o suficiente para saber quando deixar ir.

Infelizmente, não tínhamos o mesmo amor. Você me amou a ponto de esvaziar sua xícara. Em algum lugar ao longo do caminho, você ficou exausta demais para continuar me amando. Não posso culpar você, não sou a pessoa mais fácil de amar; era difícil estar comigo. Éramos muito limitados, restritos, e o fardo de seguir em frente era demais para suportar.

Dói-me dizer adeus, meu coração dói ao vê-lo partir. Não posso dizer com certeza se eu vou parar de te amar. Mas eu me amo o suficiente para saber que mereço um amor que é inteiro, que olha além de nossas imperfeições, porque nosso amor um pelo outro é ainda maior. Agora é a hora de se despedir de um amor que antes era…

Ou é? Bem, você vê, meu tipo de amor não para de amar. Acabei de encontrar novas maneiras de amar aqueles que perdi. Eu os amo o suficiente para serem felizes quando estão, mesmo que não seja comigo. Eu os amo o suficiente para mantê-los em minhas orações e desejá-los bem. Eu os amo o suficiente para valorizar as memórias que compartilhamos, pois são parte integrante de quem eu sou. Então, para aqueles que amei, perdi e ainda continuo amando, obrigado pelo amor.