O poder de um boquete bem executado normalmente não é o tópico do sexo no ensino médio, nem é discutido com frequência entre amigas próximas; mas é importante. Enviar um homem à bem-aventurança sexual é uma arte e precisa ser elaborada com muito cuidado, não à mão, mas sim à boca.

Como Shakespeare diz (porque ele é totalmente relevante no momento, certo?): 'Alguns nascem ótimos, outros alcançam grandeza e outros têm grandeza que lhes é imposta'.

Nesse caso, você é um dos dois tipos de meninas: nasceu para explodir ou aprendeu a explodir.

Em suma, toda garota pode dominar o boquete e, quando você tiver, seu cara certamente agradecerá por isso e você se sentirá ainda mais confiante, apreciado e poderoso.

Curiosamente, os papéis de gênero desempenham um papel esquecido no sexo e todo encontro íntimo com seu parceiro é diferente. Uma coisa sempre permanecerá: a beleza e o mistério desconcertante do sexo oral. Ver o sexo oral como desconcertante nem sempre é óbvio, mas é mais do que sua boca envolvida em torno de seu pau; é sua chance de estar no lugar piloto do seu espaço íntimo compartilhado. Por quanto tempo você estiver lá embaixo, estará no controle. (Não que o sexo tenha tudo a ver com controle, porque muito do prazer advém do desapego, o que é para um artigo diferente.)

Os boquetes têm a capacidade de colocar a mulher sobre o homem, o que gira a estrutura relativamente patriarcal do sexo. Outra coisa que o sexo não é, é puramente sobre a submissão, mas o fator dom / sub do sexo oral contribui para as habilidades de empoderamento de poder que estou trazendo para a vanguarda desta discussão.

A percepção social dos boquetes deve dar às mulheres a oportunidade de reverter os papéis que são bombardeados em nossa psique em relação à posição missionária, missões virgens e a noção de que as mulheres devem agradar aos homens e não esperar nada em troca. Todos podemos admitir que a educação sexual e os estigmas associados ao sexo prazeroso são péssimos - sem trocadilhos aqui.

Pense nisso por um momento; não há equivalente masculino de 'vagabunda'.

Talvez as mulheres que recuperam o controle através do sexo oral possam mudar o léxico da sociedade. Por que algum de nós deveria ser envergonhado por aceitar prazer?

sexo ainda é bom com camisinha

Não tenho medo nem vergonha de admitir que gosto nos primeiros segundos em que envolvo o pau do meu parceiro na minha boca e vejo como a expressão dele muda. Obviamente, ou eu não estaria escrevendo esta peça. Reconheço que ele está sendo colocado em uma posição vulnerável e parte de mim sempre deseja que ele a aceite mais, mas acho que ele é tímido.

Voltando à natureza patriarcal do sexo na sociedade, em algum lugar abaixo da linha, os homens ficaram com medo de soltar gemidos e suspiros de prazer. O prazer vocal masculino tornou-se marcado como um tipo de coisa 'somente para mulheres', onde era recomendado que as mulheres fossem barulhentas e a pornografia perpetuasse esse conceito. Pense nisso ... quando uma garota tem quinze centímetros, ou o que você tem, concentrando-se na rota serpentina de sua língua, respirando pelo nariz, olhando para ele versus seu pau, certificando-se de que ela está em uma posição confortável, etc., como mais ela deveria saber que seu parceiro está se divertindo? Aqui, seu parceiro precisa renunciar ao poder e informar que está fazendo um bom trabalho. (Para não dizer que todas as mulheres precisam de confiança dos homens, mas é sempre estimado).

Então você deve estar se perguntando com o que devo ir embora aqui, e a resposta é dupla:

Boquetes são momentos belamente íntimos em que as mulheres têm a oportunidade de realizar seu próprio valor e desejos sexuais e que desfrutar de um boquete não é sexualmente vergonhoso para nenhuma das partes envolvidas.

Com isso dito, saia, pegue um pouco e tenha orgulho disso. (Ele agradecerá por isso!)