A verdade é que estou cansado.

Estou cansado da sociedade que o empurra para trás e o derruba, de pessoas amando muito pouco e odiando demais, de amor e de perda, de expectativas e de rejeições.

Entre dores de cabeça e estresse, prazos e defesa, noites sem dormir e sono sem noite, quão desanimado você pode ficar?

A verdade é que estou cansado.

Estou cansado de mentir e viver de mentiras, de pessoas mostrando apenas as versões que eles querem mostrar e de programas que as pessoas fazem.

Estou cansado de pensar humildemente em mim mesmo e em mim mesmo pensando muito nos outros. Estou cansado de as inseguranças se tornarem meu melhor amigo e a toxina que estou me tornando.

Com licença, se vou gritar alto demais, mas que diabos: preciso de uma pausa.

Eu preciso de uma pausa da negatividade. Eu preciso de uma pausa do caos.

Então eu arrumo minhas malas, vou para um lugar onde, de uma vez por todas, receberei um tapinha nas costas e ouvirei as palavras 'bom trabalho', um lugar onde eu possa fazer o que tenho medo de fazer o tempo todo - ficar sozinho.

Ficar sozinho sem estar sozinho. Ficar sozinho sem se sentir vazio.

Isto não é uma fuga. Nem mesmo uma solução bandaid. Se a pista ainda não é evidente, esse lugar sou eu. Minha alma. Minha totalidade.

Então eu vou, tentando descobrir quais os erros que cometi, qual é a minha culpa ou o que cometi de errado. Tento tanto procurar meus defeitos com a promessa de alterá-los instantaneamente.

Então me ocorre: tenho me esforçado para saber o que está quebrado, apenas para estar quebrado mais. Eu tenho me aprofundado nas minhas falhas, apenas para ver mais delas. Venho pedindo soluções, quando tudo o que realmente preciso é aceitação - uma aceitação que começa comigo.

100 caras 1 garota

Preciso aceitar que tenho falhas e, se continuar usando essas falhas para me degradar, ninguém sofre além de mim. Se eu continuar permitindo que esses obstáculos centralizem minha vida, ninguém mais pode culpar além de mim. Se eu continuar deixando que a dor se apegue a mim, ninguém mais é a vítima, a não ser eu. O que eu realmente preciso é aceitar tudo o que a vida me joga e fazer o que for preciso para permanecer forte em meio aos obstáculos.

É lindo como é em silêncio que me afasto das complexidades da sociedade. É na introspecção que eu exploro o desconhecido dentro de mim. É com solidão que consigo celebrar a beleza de ser um comigo mesmo.

A verdade é que estou cansado. Mas ainda estou lutando.