Estou deixando você ir porque não preciso convencê-lo a ficar.

Não preciso pensar em maneiras de reconquistar você. Eu não deveria ter que parar de defender minha posição. Eu não deveria ter que convencê-lo a voltar comigo. Eu não deveria ter feito nada disso, porque se você me amasse, se importaria o suficiente para ouvir e se importaria o suficiente para entender que eu cometo erros da mesma maneira que você.

Estou deixando você ir, porque não preciso pedir que lute por mim e pelo que temos.

Eu não deveria ter que pedir para você nos dar uma chance, porque se você realmente me amasse, já o faria. Você não teria desistido.

Estou deixando você ir porque, uma e outra vez, você teve uma escolha e não me escolheu.

Estou deixando você ir porque fiz tudo o que pude e não há mais o que fazer para salvar as coisas. Estou deixando você ir porque eu faria qualquer coisa e, no entanto, você prefere se apossar do seu orgulho e ficar longe de mim. Estou deixando você ir porque ainda quero consertar as coisas e você continua dizendo que precisa de mais tempo.

Estou deixando você ir porque o amor não é assim. O amor não desiste. O amor escuta. O amor perdoa. O amor tenta novamente.

Eu não deveria ter que fazer uma escolha para nós, porque você não tem certeza. Não devo esperar que você se decida sobre nós. Eu não deveria ter que coagir você a ficar.

E por isso, estou deixando você ir.