Você quer que eu te ame. Como se fosse assim tão fácil. Como se eu pudesse mudar repentinamente as batidas do meu coração para acompanhar o seu.

namorar alguem 14 anos mais velho

Você escreve palavras para mim. Você sabe que eu vou lê-los.
Traço as sílabas, tentando entender uma mente que nunca vou conhecer completamente.

Me ame, você implora. Como se fosse tudo o que preciso para eu sentir minhas mãos suarem, minha cabeça girar, meu corpo derreter no seu neste calor do verão.

Você me compara a uma flor.

Eu sempre amei flores. Sua grandeza, sua resiliência, sua beleza.
Se eu pudesse ser uma flor, talvez fosse. Algo forte. Negrito. Brilhante.

Mas o problema das flores é que as arrancamos para nossos próprios prazeres.
Puxe-os de seus próprios desejos, suas próprias necessidades.

eu preciso crescer

Nós os levamos de onde eles estão aterrados, onde estão seguros, onde cresceram e fizeram uma vida para si mesmos e os colocamos em uma panela em uma prateleira, em um copo de água que simplesmente brilha ao sol.

Nós os pegamos e os destruímos por nossos próprios desejos egoístas.

Chame-os de bonitos.

Mas isso não é amor.
E eu não sou uma flor.

Não serei levado de onde estou, onde quero estar, para decorar o peitoril da janela do seu quarto. Não serei rotulado como 'bonito' nos últimos dias antes de minhas folhas murcharem, antes de minhas pétalas caírem, antes de minha vida acabar e você encontrar alguém para usar como decoração.

Me ame, você diz.
Você quer me arrancar.
Você quer me mudar.

Mas eu não vou deixar você.

levando-a para concedido

Seu amor é como a flor que você quer que eu me torne. Algo que parece bonito, pelo tempo que dura. Algo para decorar sua vida, para torná-la bonita. Mas me mata no processo.

Seu amor é como uma rosa.

Agradável de longe.
Destrutivo ao toque.

E eu não serei destruído.